A expressividade das emoções

by escrever como?

A expressão escrita das emoções enfrenta o desafio da desproporção: se a linguagem for medida e controlada em excesso, perde eficácia e naturalidade; se, pelo contrário, for excessiva, hiperbólica, arrisca-se ao ridículo ou a ser tomada como um fingimento.

chickenfeelings

-Tudo o que você faz é perguntar-me como me sinto.
-E como se sente quando pergunto isso?

A linguagem sofre de grandes limitações para exprimir satisfatoriamente as emoções, daí o recurso às metáforas para poder libertar-se dos limites da lógica e do objectivo.

(…)
E vejo-te tão longe! Sinto tua alma
Junto da minha, uma lagoa calma,
A dizer-me, a cantar que não me amas…
E o meu coração que tu não sentes,
Vai boiando ao acaso das correntes,
Esquife negro sobre um mar de chamas…
(Florbela Espanca Frémito do Meu Corpo a Procurar-te)

Recurso, bem entendido, que pode levar à repetição de fórmulas conhecidas, tornando-se banal, monótono, cliché.

Surpreendendo pela imagem e associação de ideias, torna-se possível a transmissão das emoções mais profundas ou violentas, apelando ao leitor a sua participação activa para preencher as lacunas do discurso lógico e estabelecer empatia com o autor.

Anúncios