Seduzir por palavras

by escrever como?

A escrita duma obra literária, em prosa ou em verso, maior ou menor, não se compadece com meia-dúzia de frases apelativas: se forem o mais relevante da obra, esta arrisca-se a ser meramente panfletária, superficial.

Nada de mais simples e difícil do que desenvolver uma ideia, surpreendendo o leitor e contaminá-lo com o desejo de, ele próprio, criar suas ideias a esse respeito. Chamo a isso “sedução” e é a marca dos grandes autores.

-Sim, é ele. Este é o autor do livro que me agarrou e  não me deixou seguir em paz.

“-Sim, é ele. Este é o autor do livro que me agarrou e não me deixou seguir em paz!”

É, suponho eu, aquilo que torna a obra de Pessoa tão atraente para todos nós, seus leitores: atrai, surpreende e faz-nos pensar coisas nossas “daquele” modo. Graças à leitura de textos alheios, descobrimos em nós uma centelha de génio.

Não será essa a função central da arte? Arrastar o público à participação, seja como acto colectivo, possessão demoníaca, viagem interior, libertação? Abrir as “portas da percepção”, despertar algo adormecido?

Transformar, enfim?

tomas ondarra

Anúncios