Dicas de sedução

by escrever como?

Resumindo algumas dicas já dadas para o ‘arranque’ da escrita, ultrapassando a fase da ‘página em branco’:

– ler, e ler muito e variadamente, tentando estabelecer critérios, comparando como diferentes autores abordam os mesmos temas, senão os mesmos personagens e acontecimentos

8951_389502404490482_1540852499_n

– exercitar a escrita através da anotação das leituras feitas, seleccionando trechos, comentando-os, sem pudor de escrever ideias, sugestões, impressões, recordações

– ampliar essas anotações a todos outros aspectos da vida quotidiana, desde o tema de música, casualmente escutado e que provoca algum estado de alma diferente, passando pelas reminiscências da infância suscitadas por algum cheiro estranhamente familiar, até às conversas mais ou menos banais

– desenvolver um plano da obra, se já houver ideias, e procurar enriquece-lo com tudo o que haja para sustenta-lo, desde a recolha de material documental a anotações como as indicadas acima

– ler e reler as anotações e, por exemplo, andar a pé ou de carro, deixando a cabeça viajar longe, longe

– criar rotinas de publicação de textos curtos, mais ou menos direccionados, mais ou menos relacionados, mais ou menos caóticos, mas sempre com a preocupação de serem bem escritos, bem interessantes, bem pensados.

– e tudo o que seja feito (escrito), seja lido e relido, metodicamente corrigido, alterado, transformado, antes de ser dado por concluído

522168_247063908734333_1633517199_n

O esforço de ‘polir’ os textos, perceber verdades alternativas, moderar a emoção em benefício da forma e do conteúdo ou, inversamente, de contaminar com a emoção a forma e o conteúdo, são desafios incómodos e trabalhosos a que muitos escrevinhadores se furtam, por comodismo, falta de preparação ou problemas emocionais.

1174924_578130605576428_2077613752_n

Volto a repetir: é preciso paixão. Sem desejo, a Musa nem se apercebe da nossa medíocre presença. Mas desejo sem sedução deixa-a indiferente. Ah, sim…e um grãozinho de loucura. Sem jamais esquecer o humor, porque a Musa tem um fraquinho especial pelos que gostam de brincar e de rir de si  mesmos.

"Estava disposta a esquecer o seu abuso de vírgulas mas quando ele começou a colocar indevidamente apóstrofos, eu soube que tinha acabado.

“Estava disposta a esquecer o seu abuso de vírgulas mas quando ele começou a colocar indevidamente apóstrofos, eu soube que tinha acabado.

Anúncios