Back to the basics

by escrever como?

Tendo nascido no século passado, nesses tempos a escola primária tinha ainda por hábito a prática da ‘redacção’, que não era outra coisa senão uma ‘short story’, um pequeno conto.

954710_561238233912674_739270121_n

A ‘redacção’ abordava temas inócuos como a clássica Primavera, e vinha após a leitura de algum texto do livro de Língua Portuguesa que servia de introdução ao assunto. Na verdade, a mesma técnica que neste blog se recomenda: ler livros e textos variados, escrever sobre esses mesmos temas e livros, acabará por resultar num qualquer processo criativo e literário. Ou não.

'Estória Curta' -Vai publicar os meus contos? -Não FIM

‘Estória Curta’
-Vai publicar os meus contos?
-Não
FIM

O que faltava na escola, se bem me lembro, era a devida crítica comparativa das redacções dos alunos, resumindo-se tudo a uma apreciação sumária e classificativa. Assim como não havia a análise dos textos produzidos que ultrapassasse a gramática básica e o vocabulário.

-Que tal achaste o meu poema? ... ... -Bem, o papel em que o imprimiste é maravilhoso

-Que tal achaste o meu poema?


-Bem, o papel em que o imprimiste é maravilhoso

Que é o que as oficinas de ‘escrita criativa’ e outras modalidades de aperfeiçoamento da escrita e da criação literária se propõe fazer. Na verdade, há necessidade de confrontar nossa produção escrita com a opinião dos outros, preferencialmente gente interessada e interessante.

E isso exige espírito simultaneamente crítico e auto-crítico, muito melhor ainda se convenientemente doseado por uma porção de amor-próprio (vulgo auto-estima) e sentido de humor (ou capacidade de ‘encaixe’).

132424

Além da vontade de aperfeiçoamento, claro.

Anúncios